QUANDO SE DÁ A ENTRADA DA ALMA NO CORPO HUMANO?
Já no começo da fertilização o zigoto recebe a alma que vai se incorporando aos poucos. Mesmo uma criança que já nasceu não está com toda a alma em sua plenitude. No caso de um menino, grande parte entra no momento da circuncisão e na sua totalidade somente na idade de 13 anos para menino e doze para a menina. É por isso que eles atingem a maioridade religiosa nesse momento e comemoraram o Bar e o Bat Mitsvá. É um processo lento, mas já há um começo de vida com a alma presente. Quando houve o debate no STF, um dos juízes alegou que o embrião é uma vida vegetativa. Obviamente esse homem não estudou o Talmud, pois lá está escrito que um feto na barriga da mãe estuda toda a Torá com um anjo. Mesmo a psicologia moderna diz que o feto sente tudo o que está ao seu redor e todas as emoções que a mãe passa. De acordo com o judaísmo, é um ser que está muito bem acompanhado e muito bem instruído, não há nada de vegetativo.

É PERMITIDO USAR CORDÃO UMBILICAL PARA PESQUISAS?
Pode usar cordão umbilical e placenta sem problema nenhum. Neles há células tronco e alguns inclusive congelam e é totalmente permitido. Inclusive um médico no Japão, doutor Yamanaka, conseguiu pegar células tronco adultas e fazer com que elas se comportassem como células embrionárias. Pelo judaísmo, se pudéssemos fazer as mesmas pesquisas com as células embrionárias adultas, não se permitiria fazer com os embriões congelados. O que é permitido utilizar células embrionárias pré implantadas é pós factum (bediavad), mas não a priori (lekatchila). Já que os cientistas dizem que a esperança se encontra nas células embrionárias, e elas seriam descartadas de qualquer forma, então é permitida a pesquisa; mas se a ciência descobrir no futuro que o mesmo efeito é conseguido através de células tronco adultas, automaticamente fica proibido o uso de células tronco embrionárias.

COMO SE DÁ A ÉTICA NESSE CAMPO?
Hoje em dia a grande maioria dos cientistas reconhece uma Autoridade Suprema, talvez não chamam de D’us, mas acreditam numa Força maior. Einstein por exemplo fala muito de D’us e não tinha vergonha disso.
Uma ética sem D’us não pode ser uma verdadeira ética, mas simplesmente uma teoria humanista, e sabemos da história o que isso pode causar. Na Alemanha nazista, a sociedade protetora dos animais era bastante rigorosa durante a guerra. Alguém que não tratasse bem de um gato, seria imediatamente preso, enquanto que seres humanos eram mortos de forma impiedosa, como todos sabem. O Rebe de Lubavitch disse que um homem puxando o seu próprio cabelo não consegue se levantar nem 1 cm do chão, porque o homem com suas próprias teorias não consegue se elevar acima de sua humanidade, com todas as fraquezas e falhas envolvidas.
Para ser ético é imprescindível de uma Autoridade Suprema. Eu acredito piamente que os cientistas atualmente são pessoas crentes em D’us, pois eles vêem os milagres de D’us e Sua presença em seu microscópio. Assim como uma criança precisa de regras e limites, e ela fica contente com essas regras, os cientistas também se alegram quando há regras, pois senão, os laboratórios se tornariam um inferno.

O JUDAÍSMO PERMITE A DOAÇÃO DE ÓRGÃOS?
O judaísmo só é contra a doação de órgãos em dois casos: 1) Quando se retira para deixar armazenado num banco de órgãos, como córneas; 2) Quando ao se retirar o órgão a pessoa ainda respira, por mais que houve morte cerebral, pois não podemos abreviar a vida de alguém para salvar o outro. Nós judeus não devemos doar órgãos e o corpo para a medicina, apesar disto não ser proibido ao gentio. Cada um contribui com sua forma e os judeus também contribuíram e muito para a sociedade em todos os campos, inclusive os científicos.

O ABORTO É PERMITIDO?
O aborto é permitido somente em casos extremos, por exemplo, crianças sem cérebro ou se está colocando risco de vida para a mãe. Mas uma criança com síndrome não pode ser abortada e mesmo porque sabemos que suas almas são muito elevadas. Uma mulher que foi estuprada, e isto pode causar um desequilíbrio mental e emocional dela, isso pode justificar o aborto. Precisa ter um motivo real que justifique o aborto, não importa se é no primeiro ou no nono mês. Quem somos nós para dizer que a vida de um ser humano que tem uma doença não é vida? Se o feto abortado, seja voluntária ou involuntariamente, já possui órgãos formados, deve ser enterrado no cemitério; caso contrário não precisa.

SUPONDO QUE NO FUTURO PRÓXIMO OS CIENTISTAS CONSIGAM SALVAR VIDAS LITERALMENTE COM O USO DE CÉLULAS TRONCO, COMO SERÁ A POSIÇÃO JUDAICA?
Nesse futuro os rabinos irão se reunir para analisar a situação para analisar bem o assunto. Aparentemente haverá nas clínicas muitas células embrionárias e aparentemente se usará essas células e não irá se fabricar novas para esse fim, assim diz o bom senso. Não posso pronunciar sobre algo que ainda não é real, mas pelo judaísmo não se poderia ter uma fertilização assistida especialmente para criar embriões, pois para o judaísmo a procriação é para ter filhos e não para ter peças de reposição.

POR QUE É A MÃE QUE DETERMINA SE O FILHO É JUDEU OU NÃO?
O judaísmo é passado pela mãe por um motivo que D’us resolveu, assim como D’us resolveu que Cohen e Levy passa pelo pai. Isso porque existem contribuições pequenas que o homem faz e existe o desenvolvimento feito no útero da mãe. A contribuição do homem é momentânea, mas a mãe desenvolve o feto por nove meses.
Tudo o que essa criança come, respira e bebe, é tudo através de sua mãe, como mencionei antes. Todas as emoções que a mãe passa: medo, alegria, euforia, etc., tudo passa para o bebê. Alguns utilizam a hipnose para fazer a regressão até a fase fetal para entender uma frustração ocorrida na vida uterina. Por isso é claro que o judaísmo passa pela mãe, pois judaísmo é essência, que passa por aquela que carregou e nutriu o feto por nove meses, e não pelo pai que teve uma contribuição momentânea. Esta é uma lei escrita claramente na Torá e não uma invenção dos sábios numa certa época.

UM JUDEU PODE SER AUTOPSIADO?
A autópsia é permitida apenas para salvar vidas. Por exemplo, se alguém faleceu e o governo quer saber do que ele morreu, é proibido, pois ele já está morto não vai ajudar salvar a vida de ninguém. Mas se naquela família tem algum problema hereditário de saúde e fazendo a essa autópsia vai se poder salvar seus descendentes desse problema, pode fazer a autópsia.

Baixe ou imprima este texto em PDF

Einstein e sua visão

Livro pioneiro em sua abordagem das duas facetas de Albert Einstein. ADQUIRA LIVRO